quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Não deixe de sonhar em 2010, meu povo.



Um ano termina e outro começa. Tempo de celebrar, festejar mas também refletir sobre o último ano e o que virá. A verdade é que planejamos muitas coisas para o futuro, coisas boas para nos e nossa família. O ser humano que não sonha não vive porque não tem motivação e este pensamento é comprovado periodicamente em nossa realidade. Quantas pessoas você conhece que não tem mais prazer em viver e levam sua vida sem motivação? Não penso em um homem feliz que não planeje coisas. Eu me pego planejando coisas pra mim em todo o tempo: Divulgação de meus trabalhos musicais, um bom emprego em uma revista ou jornal conceituado. É bem verdade que nem tudo o que queremos conseguimos mas é extremamente necessário que, para a sua saúde psicológica e das pessoas que te rodeiam que você deseje mais, queira mais. Que neste natal possamos celebrar com nossos entes queridos mas que o desejo de crescimento esteja sempre conosco. Talvez você não consiga tudo o que planejou mas vai chegar bem perto disto.

---------------------------------------------------------------------------------------------------


Quero agradecer a todos que contribuíram para o desenvolvimento de meu projeto musical. Várias foram às conquistas em 2009. Todos os sites que divulgaram, os amigos das rádios, Deus abençoe a todos.

No próximo ano teremos muitas novidades:

• O blog com novo formato e mais interatividade
• Um site oficial do Fábio Serafim
• O tão esperado lançamento do cd, previsto para maio.
Myspace novinha em folha

Em primeríssima mão iformo que 2 páginas na revista RAÇA BRASIL do mês de janeiro irão divulgando meu cd e falar um pouco da minha história. Em uma entrevista muito bacana eu exponho como comecei a cantar e falo um pouco sobre o cenário gospel atual. Não perca, em JANEIRO.

Muito obrigado a todos, feliz natal. Que Jesus venha a nascer todos os dias em sua vida. Por aqui eu aumento o som, curtindo as comidas maravilhosas.

Até 2010.

Fábio Serafim
Share

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Frutos do 1º Intervalo Cultural.

É com imensa alegria que descrevo aqui a repercução do programa Intervalo Cultural aqui na Pinheiro. Vários sites especializados em black music e hip hop estão fazendo referências ao evento a ao cd que brevemente será lançado. O grande alcance do primeiro dia do evento se deve excelente trabalho de divulgação das alunas Alessandra, Raphaela e Mírian, do 4º período, além da grande ajuda do amigo Marcelo, um dos responsáveis pela rede da FPG.

Abaixo segue os links, vale a pena dar uma conferida. Obrigado a todos e ano que vem teremos um lançamento oficial da faculdade. AbraSoul.

Site Gospel Beat



Site Radar Urbano




Site Rapevolusom




Revista do Twitter

Share

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Isto é o que pensam do povo brasileiro



Nosso país é tido como uma nação de terceiro mundo. É bem verdade que existe uma expectativa mundial para que deixe este nível devido às mudanças econômicas significativas que vem ocorrendo. Uma nação emergente é o título que temos mas me impressiona e deixa indignado à capacidade que alguns líderes de diversas instâncias de interpretar o povo brasileiro e de terceiro mundo como um povo idiota e sem poder de raciocínio. Nos deparamos diariamente com uma novela em que o trabalhador brasileiro é sempre a mocinha pobre, muito pobre e indefesa, porém o galã salvador nunca chega.

Pois bem, uma vez que somos tomados como idiotas e sem conteúdo sempre que se tem uma oportunidade vamos ao fato que desejo comentar: Tem sido noticiado a algum tempo a polemica atitude de Fábio Luiz, filho do presidente Lula, de viajar com um grupo de 15 amigos em um avião da FAB. Parece-me obvio que os impostos recolhidos no Brasil não são destinados a proporcionar comodidade ao “Junior” do Lula. O que ridicularizou toda a questão nesta quinta foi à declaração da presidência quanto ao ocorrido: “A possibilidade de o presidente convidar pessoas para deslocamentos em aviões oficiais baseia-se em uma prerrogativa tradicionalmente exercida no Brasil. Foi assim em governos anteriores e tem sido assim no atual”. A declaração é ridícula mas, sobre tudo subestima a inteligência de qualquer brasileiro. Um erro que ocorre a todo este tempo é considerado normal pela presidência que não admite o ultraje e o justifica como um hábito, um hábito cultural. Talvez seja este o problema dos governantes: a pilantragem e o fato de ganhar dinheiro prejudicando a outros já ocorre a tanto tempo que se transformou em hábito. No próximo ano teremos demonstrações públicas e gratuitas de canalhices dos políticos que se preparam para suas candidaturas, muitas delas já confiantes na vitória devido a uma cesta básica entregue ou por uma pracinha reformada. Isto sim é cultural.

Sinto-me roubado, não existe outra palavra. Cultural é o fato de sermos prejudicados em todo o tempo e não nos pronunciarmos quanto a isto. Cultural é um presidente usar seu cargo para conseguir benefícios, como tem feito com a pré-campanha da ministra Dilma. Cultural é o preconceito, o descaso na área da saúde e educação. O uso de verbas públicas a benefício próprio não é cultural, é canalhice mesmo. O curioso é que somente o jornal O Globo inseriu esta informação na capa de sua publicação de hoje. Por que será?
Share

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

BIOGRAFIA

CONTATOS:

21 88294954 - Alessandra
fabioserafim@fabioserafim.com.br

REDES DE RELACIONAMENTO:
Twitter
Myspace
Canal Youtube
Share

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

20/11 - Dia da consciência negra, não do blá blá blá para o negro.

O jornal O Povo de hoje foi publicado com a seguinte chamada de matéria:



Ao ler isto me senti, como negro, ainda no período de escravidão. Não me lembro de um outro momento da história senão este em que o homem negro deveria ter o estereotipo de másculo, figura temida e amedrontadora. Uns homens fortes, altos, com cara de mau e, sobretudo negro impõe medo ou respeito? Na verdade este é o problema porque homens morreram e outros lutam ainda hoje intensamente para que o negro não seja temido mas respeitado e pra fazer entender que o fato de a raça predominante na criminalidade é negro mas por uma questão extremamente cultural (veja o post ‘A guerra continua’).

É lamentável perceber que um jornal do Rio de Janeiro tem esta proposta e a manifesta justamente se referindo ao negro como a “Cor do pecado”. O negro reprodutor escravo esta dando lugar ao negro universitário e profissional gabaritado e referência. Este post ficaria imenso se eu relatasse os negros que fizeram e fazem história por seu trabalho, seja nas artes, esporte ou política. Na tv não existem tantos mas vivemos um momento histórico e inegável. A referida cor do pecado é na verdade a cor da luta contra a imposição, uma manifestação atemporal de igualdade e fraternidade. A cor da raça que quer ser vista sim, seria o início da quitação de uma dívida mas ser vista como referência de persistência e não como algum símbolo de “super negro sensual”. A função do negro é muito maior que isto porque sua essência nesta terra em que foi deixado é de falar, escrever e pensar e manifestações igualitárias. A situação mais triste é que a matéria de péssimo cunho é vinculada na véspera do dia da consciência negra, uma data para relembrar as causas quilombolas e projetar estratégias para ações futuras. Um oportunismo que reflete o quadro racial em que vivemos no Brasil.



Ainda no mesmo jornal é divulgado o trem do funk, uma viagem de trem com o som da Furacão 2000. A grande verdade é que todos entenderam o quanto comercial pode ser este dia e querem “tirar uma casquinha”. Não me lembro de ter visto nenhuma ação da Furacão 2000 ligada diretamente aos pensamentos de Zumbi dos Palmares. Em 2010 teremos eleições estaduais e o voto negro é um número considerável. O Funk é um patrimônio cultural e deve ser respeitado como tal mas não dá pra aceitar investidas como esta usando um feriado tão significativo. FALA SÉRIO RÔMULO COSTA.
Share

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A guerra ainda não acabou.

Foto: Internet


A comunidade negra de todo o país se prepara em grande estilo para o feriado da consciência negra, comemorado no dia 20/11. A data traz a memória o grande mártir do movimento negro, Zumbi do Palmares e sua luta para conquistar um sonho de liberdade do povo negro. Zumbi foi um grande guerreiro que lutou contra a escravidão de seu povo. Empenhou todas as suas técnicas militares adquiridas para estruturar um exército indestrutível de quilombolas contra as investidas do governo que não aceitava uma comunidade de negros livres. Depois de várias vitórias por seu ideal Zumbi acabou sendo traído por um dos seus e seu corpo foi entregue ao governo. Nasce assim o maior ícone de liberdade negro, contrariando todas as teses que afirmam o beneplácito da princesa Isabel. O que ela fez ao assinar a lei áurea foi um ato inevitável, tendo em vista ser o Brasil o último país a decretar o fim da escravidão e isto depois de várias “formas” de liberdade (Leis do ventre livre, sexagenário, etc.).

Imagine um povo que sempre foi escravo. Seus hábitos, costumes, todo um estilo de vida de alguém que não tem direito a absolutamente nada. Este povo não se preocupa com o pagamento de dívidas, compras do mês, vida profissional e cuidado médicos. Agora imagine este mesmo povo sendo livre de uma hora pra outra sem nenhum tipo de apoio a inclusão ou nenhum outro tipo de cooperação. Foi o que aconteceu com os negros. A liberdade tão sonhada transforma-se agora em um pesado julgo. Não puderam usufruir nada que construíram por toda a vida mas tiveram que assistir todo o seu trabalho nas mãos dos senhores de engenhos e seus filhos. Este é o maior motivo da desigualdade racial do Brasil, tomando-se por base apenas os 120 anos da abolição. Atente para o grande percentual de negros muitos pobres, mendigos, moradores de morros e favelas. Quantos negros você conhece que cursam ou cursaram uma universidade, comparando a quantidade de alunos brancos. É como se uma corrida de Fórmula 1 tivesse início mas com um carro saindo 20 segundos depois dos demais, tendo enorme desvantagem. É bem verdade que hoje existem tentativas de abrandar esta desvantagem mas todas procuram uma solução em curto prazo e não resolvem o problema. O benefício das cotas contribui para o acesso de muitos jovens a universidades mas se o ensino básico não for reformulado este benefício se transforma em favor.

“O Rio é uma cidade de cidades misturadas”. A canção diz por si só. O grito de liberdade de Zumbi ainda ecoa pelos quatro cantos desta nação mas hoje a liberdade que buscamos é a liberdade para a igualdade. O negro brasileiro quer ser igual, ou melhor. Veja os papéis de negros nas novelas. Em sua maioria escravos, faxineiros. É uma questão tradição cultural que precisa acabar. A luta de Zumbi continua
Share

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Salve o apagão. Santo apagão.



O Rio de Janeiro e mais 19 estados dos Brasil tiveram, nesta noite de terça-feira uma falta geral de energia. Ainda não se sabe o motivo concreto do “apagão” mas o ministro Lobão, de Minas e Energias confirmou nesta manhã a Band News que o problema não foi na geração de energia mas sim na sua transmissão.

Eu, no momento da falta de energia estava em casa fazendo um trabalho da faculdade sobre neoliberalismo e obviamente não consegui terminar. No rádio inúmeras informações de qual o causador do problema. As pessoas se mostraram preocupadas com assaltos em massa nas ruas e o calor, que no Rio não tem dado trégua. Em dado momento percebi que estava na sala com meu pai, por volta de 23h00 ouvindo rádio e conversando. Isto raramente aconteceria neste horário porque sempre estou na internet lendo meus emails, alimentando meus canais de informação ou fazendo alguma outra coisa diferente do que fiz. Neste momento percebi a quanto uma falta de energia é necessária para a permanência da vida em sociedade e da família como célula desta.

Com certeza nossas vidas estão em marcha acelerada em todo o tempo. Vivemos em um mundo competitivo e globalizado onde a quantidade de coisas que você faz ou não podem determinar seu futuro e justamente por isto não paramos. Estas coisas são necessárias mas o “apagão” é essencial. É preciso se relacionar, conversar e não se prender a uma vida de MSN e orkut. Eu pergunto o que você fez na falta de energia? Você conversou com seus pais ou filhos? Leu um bom livro a luz de velas? Pensou em atitudes que precisa tomar? Você faria isto se nada tivesse ocorrido?

A verdade é que somos hipócritas demais para admitir que temos uma vida desligada das coisas imateriais. Nossas prioridades estão sempre em primeiro lugar mas eu sei que nesta última noite um filho ouviu o problema de um pai, um amigo ligou para o outro que não falava há tempos. É preciso uma falta de luz para que a “claridade” volte.

Faço uma conclamação a todos: Comentem aqui registrando o que vocês fizeram na noite de terça, durante a falta de energia. Seja bem detalhista mesmo. Relate onde estava e o que você fez e vamos medir isto.

Forte abraço a todos e não esqueçam: INTERVALO CULTURAL nesta sexta-feira no auditório da Faculdade Pinheiro Guimarães, as 20h20. Vou falar um pouco sobre minha vida na música e sobre o cd que esta chegando, além de interpretar algumas canções, acompanhado do meu amigo Hayala dj. Compareça, vai durar apenas 20min.
Share

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Até quando meu povo vai morrer assim?




Olá a todos.

Bem, estamos estreando o novo formato do blog. Nele a interação fica mais interessante, o que acaba sendo um dos meus maiores interesses. Conheça todos os tópicos novos como o Vídeos da Semana e o Informação ++. Estas atualizações ocorreram porque vocês existem, ok?

Tivemos,a duas semanas aqui no Rio de Janeiro uma verdadeira guerra urbana. Me refiro a invasão de guangues rivais ao morro dos Macacos e a interceptação da polícia, gerando mortes de inúmeras pessoas(30 no geral, incluindo 3 policiais) e a queda de um helicóptero da polícia. Além disto vários ônibus foram queimados em diversos bairros do Rio, como no Jacaré, tendo gerado assim horror e calamidade em toda cidade. Como se isto não bastasse um coordenador do Afroreeage foi sumariamente executado no Centro, quando passeava com amigos. Os bandidos levaram todos os seus bens mas tiveram que os entregar aos policiais que faziam a ronda e, por mais incrível que possa parecer, não foram detidos. Câmeras de prédios próximos registraram que, por algumas vezes o carro da polícia passou pela vítima, ainda viva mas ninguém o socorreu.

A área de inteligência da polícia informou que o grande suspeito dos ataques e da queda do helicóptero da polícia é Fabiano Atanásio da Silva que fugiu da prisão em 2002 após ser beneficiado pelo regime semiaberto. Estes anos já ocorreram vários casos de bandidos que receberam este benefício mas não retornaram a prisão.

A verdade é que o Rio de Janeiro sofre há algum tempo um processo de criminalização de forma acelerada. O governador Sergio Cabral e o secretário de segurança Beltrame defendem a opinião de que a polícia não pode se intimidar com incursões criminosas, chegando a dizer que a queda do helicóptero da polícia vai gerar uma ação policial de igual peso. O que me traz imensa preocupação é o fato de pessoas sem nenhum envolvimento com isto ter que pagar com suas próprias vidas. Não se percebe uma preocupação das autoridades com a vida inocente que, mesmo não sendo responsáveis por esta assolação pagam muitas vezes com a própria vida. Pessoas que são retiradas de dentro de suas casa e obrigadas a manter-se afastadas para preservar a sua própria vida. Uma mãe faleceu neste fim de semana ao ser atingida por uma “bala perdida” na comunidade Kelson’s, na Penha. O projétil atingiu também o bebe de 8 meses que carregava mas esta fora de perigo. O pai da criança, revoltado, diz que os tiros foram disparados pela polícia pois não havia nenhuma investida criminosa no local. Temos então um exemplo excelente de o que esta acontecendo com a segurança pública no Rio de Janeiro. Os moradores pagam o preço da retaliação da polícia mas, pelo que temos percebido isto não importa muito. A vida aqui esta a preço de banana e isto tem sido noticiado nos jornais de todo o mundo, como o Lê Monde de hoje, que faz uma dura crítica à polícia do estado quanto ao caso do coordenador do Afroreeage, já comentado aqui anteriormente. Este é o preço que o Rio paga por desejar sediar as olimpíadas de 2016, o centro das atenções do mundo.
Share

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A injustiça da justiça




Assisti na última semana o documentário JUSTIÇA, que retrata uma série de julgamentos realizados no Rio de Janeiro e o desenrolar de cada história. Nele temos a confirmação (como se isto fosse necessário) que os procedimentos e as leis como um todo não contribuem para a aplicação da justiça, mas sim de uma “justiça”. O andamento e análise de casos não passam credibilidade em nenhum momento, geram desconfianças mas talvez este seja o problema: Como se pode combater algo que não se conhece? A maioria das pessoas não tem um conhecimento quanto a seus direitos judiciais. É claro que um criminoso deve pagar por seu crime e a justiça deve zelar por isto mas a de se analisar cada caso e o que percebemos hoje é algo como “todos no mesmo saco”.

Alguns casos do vídeo me chamam a atenção e fazem pensar: Um rapaz é acusado de roubar um carro e, ao ser percebido pela polícia corre em fuga, pula um muro e acaba sendo capturado, foi o que alegou o policial que o prendeu. Até então nada estaria errado, a não ser o fato de o “criminoso” não andar. Ele teve um problema de saúde na infância e, desde então precisa de uma cadeira de rodas para fazer tudo. Como um cadeirante consegue roubar um carro, correr da polícia e pular um muro? Dado momento ele solicita a juíza aguardar o julgamento em liberdade, pois devido ao seu estado e ao fato de estar em uma prisão normal não conseguia sequer ir ao banheiro, pois tinha que se rastejar no chão. A juíza em questão não tomou conhecimento de seu caso e pediu que aguardasse porque não poderia fazer nada. Eu refleti profundamente sobre este caso. Deparei-me com uma situação real, em um país como o Brasil e em uma das cidades mais conhecidas do mundo, Rio de Janeiro. Não existe o real interesse no cumprimento da justiça. É como se houvesse uma “força” que conduz a justiça brasileira a uma racionalidade tão grande que seus reais interesses não são alcançados. Tem se a sensação de que não existe um interesse na mudança. Eu acredito plenamente nisto. Vivemos em um país assolado pela corrupção, descaso e sobretudo pela impunidade. A quem não queria admitir esta falência judicial, outros defendem a causa e a verdade é que existe uma gama de advogados, promotores, juízes e outras esferas de poder que tem um profundo comprometimento com o cumprimento das leis mas até estes são impactados pelos procedimentos das próprias leis, muitas vezes retrogrado e antiquado mas inalteráveis.

Nos transformamos em um país que disfarça e finge para a comunidade mundial que não existem problemas, ou pelo menos não do tamanho que realmente são. Veja o vídeo da candidatura do Rio como sede das olimpíadas de 2016: Todas as coisas boas e atraentes da cidade são retratadas, seus pontos turísticos, sua população abençoada e miscigenada mas não relata os helicópteros da polícia que são alvejados por bandidos, ônibus que são queimados. É claro que situações como estas não se pode esconder, haja vista as publicações em jornais do mundo todo como o The Washington Post. A questão é: o que se tem feito de concreto para o fim desta calamidade que cai sobre nós, cariocas.

As olimpíadas, a maior conquista esportiva do Brasil pode ser manchada antes mesmo de seus preparativos iniciarem concretamente. A injustiça da justiça brasileira tem o poder de acabar até mesmo com o “sonho olímpico”.
Share

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Um fim de semana no Rio de Janeiro. Rio 2016











Share

sábado, 10 de outubro de 2009

O céu.

As vezes, em alguns momentos do dia como este, parado no engarrafamento na av. Brasil, me pego pensando em mil coisas. As situações que já vivi e vivo me obrigam a pensar quase que 24h por dia. Enfim, em alguns momentos faço uma auto análise e penso em que está faltando. Eu sinto que na minha vida, em absolutamente todos os aspectos falta alguma coisa. Um movimento, uma ação, não faço idéia mas o que sei é que algo esta faltando e isto consome minha mente todo o tempo.

Aqui no engarrafamento acabo de ouvir uma canção da Heloisa Rosa que repete o texto bíblico dizendo "Não se turbe o nosso coração. Credes em Deus e também em mim... se não fosse assim eu(Jesus) não vos teria dito VOU VOS PREPARAR UM LUGAR. EU IREI E VOS LEVAREI PARA MIM MESMO". Neste momento eu comecei a visualizar o céu como aquilo que, a concretização da salvação talvez seja o anseio da minha alma.

Eu tenho lutado demais. Como diria Kirk Franklin com certeza esta é "A luta da minha vida" mas, as vezes, não quero mais lutar. Não tenho o desejo de correr de um lado para o outro, de ter em minha ment uma máquina de frases 24 horas por dia e ter que expo-las. As vezes eu quero parar. Não me sinto mal por pensar assim. Na verdade me sinto gente,humano. Muitas pessoas pensam,ou pelo manos falam de forma que, quando olhamos não vemos medo,insegurança e todos os atributos que somente seres humanos tem. Eu ainda sou gente eme canso.

O ano de 2009 foi demais, extremamente profético mas estou cansado de lutar, de nunca ser plenamente compreendido, de brigar lutas que não são minhas, de chorar por me calar. O silêncio não me traz medo mas cansaço, é como estou. Da luta contra uma polícia desumanizada, uma sociedade desumanizada, de uma humanidade desumanizada. Eu já tive uma pistola na minha cabeça e o homem que a segurava, o mesmo que meus impostos pagam p/ me defender, dizendo que iria atirar (outro dia conto esta história). Já fui parado aqui, em plena av. Brasil, tirado de dentro de um táxi que aluguei em pleno dia de trabalho e tive que ouvir a seguinte frase: Perdeu negão. Me passa a arma. Entende meu cansaço?

Escrevo aqui sempre meus posts pensando que alguém vai ler e, pelo menos pensar, refletir masas situações tem me feito cansar disto também. Homens me mandam fazer isto ou aquilo, venha a hora tal, dance isto, cante aquilo. Eu estou cansado de ser uma tentativa de alvo monopolizado, de tentarem controlar meu raciocínio, meu intelecto. Não me lembro de um outro momento em que o cansaço me toma deste jeito mas hoje eu me lembrei do céu. Este post não é uma despedida. Eu não seria influenciado pelo diabo a isto. Minha intenção épensar no céu e nas coisas que a bíblia diz que tem lá, no descanso que terei. Hoje, ao ouvir esta canção acho que entendi.

No céu nãoprecisarei mais lutar, não serei mais julgado pela minha cor de pele, pelo que falo ou faço, pelo que visto ou canto. Uma tarde inteira na internet? Uma cama para dormir 12 horas seguidas? O céu é muito melhor que isto. Será o lugar de descanso do guerreiro ferido.


Foto: Internet
Share

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

É seu prefeito!!!!

Apocalipse? É o fim do mundo? Não, apenas um dia no trânsito do Rio de Janeiro. A impressão que se tem é que todos os motoristas ficaram loucos e decidiram desempregar os usuários de ônibus de seus empregos, sem contar com a “dificuldade” de se ter um carro porque não adianta ter um e não conseguir dirigir. Como se tudo isto não bastasse o nosso prefeito Eduardo Paes regularizou sim mas reformulou (e estragou), há poucos dias, toda a parte logística de atuação das vans no município. Na Central do Brasil, por exemplo não se pode pegar uma van pois foi proibida a parada. Resultado: Ninguém consegue mais chegar dentro do horário aos seus compromissos, a não ser que saia de casa com 2 ou 3 horas antes. Eu pessoalmente fiquei hoje exatamente 1 hora entre um ponto e outro da av. Brasil, ainda no meu bairro, devido a um acidente ocorrido mais a frente. Que não me venham com a medíocre desculpa que um acidente gera este tipo de situação porque isto é uma terrível rotina diária e que confirmem isto todos os usuários da av. Brasil. As pessoas já contam com o “tempinho” que se gasta diariamente.


Quando trato desta questão não me refiro especificamente aos ônibus. Veja o metrô por exemplo: Vc já usou o metrô por volta de 7h00? Se usou conseguiu sair dele sem ter amassado a roupa ou o documento importante? Esta situação já se arrasta há anos mas até hoje não foi resolvida. O trens estão de igual forma, superlotação e desconforto total.


A verdade é que toda esta questão de transportes se transformou em mais um elemento desta rampa política que vemos em nosso cenário nacional. Quem quer ser eleito promete fazer algo para que, assim, receba o voto de alguém mas este fazer algo não visa outra coisa a não ser sua eleição (no caso do Rio eu diria reeleição). Ainda vivemos em um país que, em sua grande parte as pessoas não tem este poder argumentativo e são levadas por verdadeiros atores que atuam, infelizmente nos lugares altos desta nação, e impunes.


Dizem que o trem bala e metrô subaquático estão chegando. Bom demais será mas eu imagino que muito mais importante que as formas que ainda virão e, com elas gastos exorbitantes, seria o investimento nos meios que já dispomos hoje, ou será que só o pré-sal tem espaço certo para discursão? Lá vem o golpe.

Foto: Internet








Minha dica desta semana é,novamente minha myspace. Estou muito feliz porque não tinha idéia da quantidade de gente que esta curtindo. Tenho ouvido os melhores comentários e estou ansioso para a chegada da mixtape, em Fevereiro/2010. Por enquanto vocês podem curtir duas musicas que estarão no cd. Estão lindas e coisas ainda melhores estão por vir. Duvidam? É só conferir, Eu indico.


Share

sábado, 19 de setembro de 2009

BLÁ BLÁ BLÁ TAMBÉM NA INTERNET.

Se preparem para a maior enchurrada de pop ups e emails de divulgação da história. Nas próximas eleições a Internet será usada amplamente para campanhas políticas. Representa um momento histórico, um marco digital que divide as campanhas políticas em antes e depois da liberação da Internet, visto o grande alcance que ela possui.


Agora imagine o que vai acontecer com sites de relacionamento como Orkut e Twitter: propaganda todo o tempo, caixas de email abarrotadas, blogs e mais blogs com slogans de “Vote em fulano, número xxxxx, a renovação”. O fato é que a maioria da população já possui um acesso, mesmo que discreto a rede e, ao se deparar com este tipo diferenciado de propaganda vai ser confrontado com com algo inesperado e, talvez por isto, ser conduzido por "outras pernas".


Nosso povo é capaz de não se influenciar pela forma ou modo? Sinceramente não sei responder esta pergunta mas tenho certeza que hoje, em um país em pleno crescimento e sendo por isto respeitado no mundo é nítido que a falta de educação e formação profissional influenciam diretamente nas escolhas políticas. Falta um "Q" de interpretação. Isto será evidente nas eleições de 2010.

Para que tenhamos uma prévia do que abordei posto o vídeo “Os companheiro Pop Up”, brilhante e hilariante animação que foi exibido no festival Anima Mundi deste ano. A diversão é certa mas assista e analíse.


Share

sábado, 22 de agosto de 2009

Educação para negros e educação para brancos.

Fiquei algun tempo sem escrever por aqui. Estou fazendo o possível mas este mes ficou muito difícil. Na coluna Eu Indico, logo abaixo vocês saberão o motivo. Curtam o texto e comentem a vontade.


A alguns posts atrás eu trouxe em questão um assunto deveras polêmico, educação no Brasil e por conseqüência tocou no assunto cotas. Percebi um retorno muito legal e colocações sobre este assunto. Não busquei ingressar completamente nesta questão mas vejo agora uma oportunidade de pensar um pouco sobre e refletirmos sobre o que vem acontecendo em âmbito nacional sobre cotas. A grande verdade é que ela vem cedendo espaço para muitas outras formas de ingresso universitário, tendo como última grande novidade a mudança no vestibular de muitas universidades federais que adotaram o Enem como forma de ingresso direto.

Há 120 anos atrás tínhamos um país de escravos. Os negros foram retirados de sua terra, sua parentela e costumes para servirem de mão de obra “super” barata no Brasil. Se pensarmos o quanto durou o período de escravidão no Brasil – aproximadamente 400 anos- entendemos que, na historia geral do negro no país, a raça foi muito mais escrava que livre. Não teve oportunidades, chances de conhecer culturas a não ser o trabalho diário e sem direitos. É claro que hoje não apenas negros mas brancos também sofrem com o desenrolar disto. Nosso país é uma mistura de raças, porém, a negra tem quase que 50% comprovadamente. Como alguém que nunca conseguiu estudar, historicamente dizendo, em bons colégios, privado de muitos tipos de informação e sofrendo uma discriminação direta consegue passar em uma UFRJ? Alguém pode dizer que existe e isto é óbvio mas a questão que abordo é: Qual é o percentual de negros em uma sala de medicina da mesma universidade? Baixíssima.
As cotas não resolvem este problema, que é muito antigo. Na verdade elas remediam a questão de imediato mas se uma reformulação radical de âmbito nacional não ocorrer os negros, brancos e todas as raças de baixo poder aquisitivo estarão destinados aos limites do saber. Serão limitados por um Brasil desigual que permitiu que uma das maiores injustiças do mundo se realizasse: negaram o conhecimento.

------------------------------------------

EU INDICO: Rapazeada, minha dica de hoje é a pagina. Isto mesmo,minha página musical - www.myspace.com/fabioserafim. Lá você vai ficar por dentro da minha história com música, algumas curiosidades e aguardem porque coisas excelentes estão por vir.

Vai lá e confere. Eu indicoooo, claro. kkkkkk




Share

domingo, 31 de maio de 2009

Black Music

Salve genteeeeee.


Posto hoje um vídeo das inúmeras apresentações. Desta vez com a galera da Banca 7 que tem feito a coisa acontecer no hip hop gospel no Rio de Janeiro. Nos comandos Fydell W.O.S., que acabou de lançar seu novo cd em formato Mixtape, com seu aliado Totte.


Tive a honra de cantar com eles em uma apresentação no Projeto Vida Nova de Irajá e foi uma noite muito abençoada. O som do cara fica na cabeça e você não consegue esquecer.


A grande verdade é que ele, juntamente com o seu grupo R.E.P, tem feito sua história no black do Rio. Isto é muitíssimo importante para a consolidação do estilo no Rio aconteça. Existe uma vertente forte de Black Music entre cariocas e pessoas como Fydell e sua galera consolidam isto.


Logo logo vocês ficam sabendo,em primeira mão, das minhas coisas. Estão sendo preparadas.


Fydel W.O.S. Este eu indico. .



video www.banca7.com.br
Share

sábado, 16 de maio de 2009

A alguns posts atrás eu falei do John Legend e deixei o link do melhor vídeo. Agora segue o mesmo na íntegra. Olha o que este cara faz no piano e com a voz. Excepcional. Este EU INDICO:


video
Share

quarta-feira, 13 de maio de 2009




Gente, seguinte: O BLOG FOI INDICADO A PREMIAÇÃO. UHUUUUUUUUUUUUUU

Fui pego de surpresa mas fiquei muito feliz.
Acessem e votem, ok? Luv and respect
Share

quinta-feira, 7 de maio de 2009

O Brasil é um país que não quer educação

Olhe para a educação que temos hoje no Brasil. Examine cada aluno, seja do ensino fundamental ou médio da rede pública que você conhece e me responda: Como andam os alunos e a educação do Brasil?

Cotas raciais, belos descontos em formas de bolsas, Prouni. Você realmente acredita que estes recursos, criados até com uma intenção admirável primeiramente, vão resolver o problema de anos e que se mostra “calcificado”?

Entendo que alguém que estudou em escolas públicas, sem acesso a um nível excelente de ensino fica sempre atrás. Vez por outra encontramos talentos que conseguem romper estes “limites” e se destacam mas não representam alguma porcentagem considerável do todo. A verdade é que a classe pobre, ao pé da letra é uma classe menos favorecida e depende sempre de uma “ajudinha” para conseguir acesso as coisas, haja vista o polêmico caso de cotas, capaz de colocar alguém em uma universidade pública, mesmo sem nenhuma condição, apenas por sua cor de pele. Eu sou a favor das cotas, não se enganem comigo. Acredito que elas resolvem em curtíssimo prazo o problema. Minha pergunta é: até quando elas serão necessárias? Quando será o dia em que todos os negros do país terão uma base educacional nos ensinos fundamental e médio tão boa que não precisará de um favor pra fazer um nível superior?

Eu realmente não entendo. Nosso país visa os lugares mais altos da economia mundial. Vivemos um momento de glamour com os EUA e “o cara” pensa em emprestar dinheiro ao FMI. Isto é realmente uma coisa muito boa mas não podemos ficar alheios aos problemas internos que passamos e a educação hoje é precária. Não se esqueçam que os médicos, economistas e presidentes de amanhã são os estudantes de hoje.
Ano da França no Brasil, muito legal. Admiro este país e tenho um sonho de um dia estudar a língua mas porque não fazer também um ano da educação no Brasil? Porque não se nota esforços das autoridades para a melhoria deste sistema? Parece que tudo é mais importante que a educação, menos durante as campanhas eleitorais e não venha com esta história de que foi prometido e realizado o fim da aprovação automática porque ela tem a mesma intenção das cotas. Acabar com ela é o correto mas sem resolver a natureza do problema é covardia e o que mais temos visto são atos de covardia no Brasil.

“Eu tenho um sonho”. Só espero não morrer antes de vê-lo se cumprir. Ou a sociedade se posiciona quanto a esta questão, que atinge diretamente todas as áreas do país, inclusive dentro de nossas casas ou teremos que viver a sombra de outros para sempre e esperar um progresso que nunca virá.


----------------------------------------------------------------


Eu indico:

“Canal Futura. O canal do conhecimento”. Com este tema o Futura tem trazido realmente o conhecimento ao povo brasileiro, fazendo a sua parte como agente formador.

Percebe-se em cada programa e em cada chamada o compromisso que foi assumido pela Fundação Roberto Marinho e por seu patrono de levar instrução, entretenimento e conscientização ao povo brasileiro. Seus programas abordam temas super atuais, polêmicos e sempre com uma perspectiva positiva. Destaco os programas Mundo.doc, Sala de Notícias e Globo Ciências.

Acesse o site www.futura.org.br para conhecer mais sobre este projeto de sucesso. Este eu indico.


Share

sexta-feira, 1 de maio de 2009

A "CRÍTICA" DA CRÍTICA

Salve genteee. Peace.

Mais uma postagem pra pensar:

O Brasil é conhecido como um dos melhores países do mundo em produções de novelas e este título já vem de vários anos de muito trabalho, principalmente de divulgação internacional.
A Globo desta vez resolveu trazer , em “Caminho das Índias” a discursão sobre a cultura indiana, suas normas e condutas. Na verdade a parte religiosa e cultural é o centro da trama, podendo o telespectador conhecer os hábitos e praticas de um povo que, indiretamente tem muito haver com o Brasil. Isto porque Pedro Álvares Cabral, o descobridor do Brasil procurava o caminho marítimo para as Índias quando acidentalmente descobriu o nosso país, mas esta é uma outra história.

O que tenho a intenção de abordar aqui são alguns assuntos que influenciam diretamente a sociedade:

* Nossa realidade, quanto a Brasil é completamente diferente de qualquer outro país porque nossa “realidade” é outra. Nossa cultura e hábitos são próprios e não podem ser reproduzidos na integra em nenhum lugar do mundo, fora o fato de não termos uma estrutura social igual. Enxergamos a realidade de uma outra ótica porque, na verdade, não existe uma mas formas de realidades, no entanto, me pergunto diariamente porque o tom taxativo e discriminatório predomina, tanto na trama quanto em sua repercussão. As pessoas acham estranho alguém honrar mais a família do que um amor mas não percebem que comer arroz com feijão todos os dias pode ser também alvo de críticas em vários países que não tem este hábito.
Não existe o certo ou errado sobre este assunto mas formas diferenciadas e entendo que uma cultura não tem que ser questionada por um outro grupo social mas aceita como uma forma de conhecer outras culturas, e só.

* Existe uma proposta explicita para que eu copie o que vejo e tem sido assim no que diz respeito a novelas. Basta alguém cortar o cabelo de uma forma não tradicional na novela das 8 e cria moda. Na novela em questão não é diferente, tendo a influência nas roupas, na linguagem e até na religião que o país tem sofrido com Caminho das Índias.
Eu decidi não ser levado como barco no mar a deriva mas a buscar um senso crítico de todas as coisas e, sinceramente, algumas novelas tentam passar ao telespectador um “ Atestado de Ser Não Pensante”, o que acho um ultraje ao poder de interpretação do povo brasileiro.

Que tipo de pensamentos, questionamentos e novelas nos temos deixado paras as futuras gerações brasileiras? Esta é pra você pensar.

---------------------------------------------------------

Eu Indico:

Este cara tem se sagrado como um dos grandes interpretes de R&b dos últimos anos. Seu timbre inconfundível e sua versatilidade também como pianista tem se consolidado em todo o mundo, levando a música de Legend ao topo.

Suas produções, sempre em parceria com o mago Kanye West, parecem mais uma visão futurista do Jazz e da Black Music, ao estilo norte americano.

John Legend, este Eu Indico.




Site: www.johnlegend.com

O Melhor Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=dcuR5xHDv8I
Share

segunda-feira, 13 de abril de 2009

AGENDA

MARÇO

18 - Assembléia de Deus em Paciência, RJ

19 e 20- Sara Nossa Terra, RS


ABRIL

08 - Centro Evangelístico de Vista Alegre, RJ

09 - PVN Irajá e Show em Seropédica - Abertura de Dj. Alpiste e

21,22 e 23 - Bolívia


MAIO

01 - Igreja Batista Getsemani, Cachoeira de Macacu, RJ

20 - Jantar da Juventude do Projeto Vida Nova de Irajá




Sujeito a possíveis alterações.

Para reservar datas para eventos: 21 88294954   fabioserafim@fabioserafim.com.br
Share

sábado, 4 de abril de 2009

Que tal declarar isto pela manhã ao acordar, hein??

Share

sábado, 14 de março de 2009

MÍDIA? OLHA AI O QUE É A MÍDIA:

Pode a Mídia construir ou desconstruir a realidade?


Os meios de comunicação fazem parte da vida de todos os seres humanos. Não se pode imaginar uma vida, pelos métodos tradicionais, sem jornais, revistas ou qualquer outro veículo que leve a informação a quem deseja. Estes veículos têm a função de informar a população sobre assuntos diversos, sempre de uma forma clara e imparcial, porém, o que vemos hoje é a mídia formar ao invés de informar.
A realidade pode ser questionada quando se parte do princípio que não existe uma realidade absoluta, mas formas de observá-la e formar, assim, conceitos, mas o que a mídia tem feito atualmente é determinar verdades, julgar os fatos como absolutos e as pessoas, sem algum poder investigativo, se veem completamente submersas nestas “verdades”. Isto se choca diretamente com o fato de ser, o homem, o construtor da história, alguém que não a assiste apenas, mas a faz acontecer. Subestima a capacidade do indivíduo de dar forma a um fato que lhe é apresentado e criar assim a sua interpretação.
O fato de uma criança morrer ao cair do oitavo andar de um prédio não significa determinantemente que foi apenas uma brincadeira com um fim fatídico ou um assassinato a sangue frio. Nós temos o direito de poder analisar os fatos, ler sobre eles e buscar a nossa concepção de realidade sobre tal assunto mas somos convidados diariamente a parar de pensar e aceitar a “informação” já pronta, como uma ditadura subliminar. Isto é o que percebemos no filme O 4º Poder, onde um jornalista tenta passar a sua visão do que é certo ou errado. O fato de um homem matar a outro, sequestrar e ameaçar com arma de fogo não significa, em sua visão, que este homem seja tão mal assim. Tenta convencer as pessoas de sua própria realidade: o bandido é bom. Um segundo jornalista aparece e mostra a sua a sua visão dos fatos, colocando questionamento a intenção do bandido, utilizando-se de imagens apelativas e sensacionalistas, a fim de formar um conceito. A edição traz o peso a que o filme se propõe e nos confirma que pode conduzir pensamentos. Ela nos passa que, não importa o que você quer dizer mas sempre existe um “jeitinho” de mudar sua declaração.
Acredito que a mídia tem o poder de moldar a realidade, podendo dar vida e matá-la quando julgar necessário e fazendo com que a maioria das pessoas comece a credita em algo que eles mesmos desconhecem por inteiro. Este é o 4º poder, a mídia.



--------------------------------------

Quero apresentar a vocês Amanda Faia, uma jornalista excepcional e apresentadora do programa Black Beat, um programa da Rádio Tropical(Natal/RN). É um espaço pra se ouvir música black de qualidade.

Curtam a entrevista dela e acessem o site ww.blackbeat.com.br. EU INDICO

Share

sábado, 14 de fevereiro de 2009

LEVANTE-SE

Olá gente.

Primeira postagem do ano, com muito atraso mas eu estava trabalhando muuuuito.

Venho dizer neste primeiro post que já existe, até mesmo antes do inicio deste ano um projeto vencedor para todos nos. 2009 não pode ser igual a 2008 e digo isto por experiência propria. Já me espanto porque só estamos em fevereiro e já me sinto completamente diferente em relação a muitas coisas desde o ano passado. Convoco todos vocês, leitores do meu blog a optarem por um ano diferente:estudo, trabalho, romance, e tudo mais que tiver que mudar. Na verdade a mudança, mesmo sendo temida é extremamente indicada am alguns aspectos para a melhor qualidade da mesma.

Tudo o que você sonha e projeta tem um tempo certo e determinado por Deus para acontecer mas se você não se preparar para a vinda dele possivelmente não viverá este tempo e passará uma vida inteira se lamentando daquilo que não fez. Por isto levante-se, dê um rugido bem alto e faça.


ESTA VOCÊ NÃO PODE PERDER. EU INDICO:

Dia 13 de março estará se apresentando na casa de show carioca Canecão(www.canecao.com.br)o coral gospel americano Harlem Gospel Choir . Eles tem uma apresentação bem diversificada. Que for vai se deparar com várias apresentações de dança e música instrumental, além do bom e velho canto coral norte americano, adoração única e genuína. Os preços estão bem "salgados" e variam de R$80,00 à R$360,00. Bom mesmo é comparecer, independente do valor e lugar, para assistir coisas tão especiais como esta e que quase não temos aqui no Brasil, fora os enéricos claro. www.harlemgospelchoir.com/index.html




Share